negociosemfoco.com

negociosemfoco.com | Balanço patrimonial: saiba como fazer e sua importância para a saúde da empresa

Balanço patrimonial: saiba como fazer e sua importância para a saúde da empresa

Balanço patrimonial: saiba como fazer e sua importância para a saúde da empresa

Balanço patrimonial | Imagem de Steve Buissinne por Pixabay

O balanço patrimonial é uma ferramenta aliada de negócios de sucesso e é por meio dele que planos estratégicos podem ser criados.

A área de finanças e contabilidade é uma das mais importantes para garantir o sistema de uma organização, pois é ela que realiza o balanço patrimonial e outros processos de negócios. Suas atividades gerenciam as finanças e as deixam conforme a legislação e as boas práticas empresariais.

Como uma ferramenta de análise e estratégia, o balanço patrimonial é um relatório aprofundado de informações patrimoniais e financeiras de uma organização, além de um requisito legal para a empresa. 

O que é balanço patrimonial?

O balanço patrimonial é um relatório que demonstra objetivamente como está a economia e a situação contábil de uma empresa em um determinado período. Esse demonstrativo, como o próprio nome diz, foca em levantar o que é patrimônio da organização, seus ativos e passivos. No relatório, são apontados:

Ativos

Os ativos de uma empresa são os valores que esta possui em caixa, aplicações, conta bancária, aplicações, maquinário e equipamentos, entre outros. Eles são divididos em duas categorias:

Circulante

São ativos com maior liquidez, isto é, que mais rapidamente se convertem em dinheiro. Tratam-se, por exemplo, de estoque (produtos em estoque), aplicações financeiras (investimentos de curto e médio prazo), contas a receber (valores pendentes de clientes), dinheiro em caixa, etc.

Não circulante

São ativos que não podem ser convertidos em dinheiro em curto e médio prazo, mas, sim, a longo prazo. Apesar de não se tornarem capital rapidamente, são ativos importantes para a economia da empresa, já que, muitas vezes, estão relacionados às suas operações e comercialização. 

Tratam-se, por exemplo, de propriedade intelectual, em que há ativos intangíveis de marcas e patentes, investimentos de longo prazo, imóveis e equipamentos, estes últimos conhecidos como ativos imobilizados.

Passivos

Os passivos de uma empresa são todas as suas dívidas e obrigações financeiras. Os valores desses itens constituem o que sai ou deve sair da posse da organização. Eles podem ser divididos em diversas categorias; veja, a seguir, as principais:

  • Passivos circulantes: obrigações financeiras que vencem em até 12 meses a partir da data do balanço, como contas de água e luz.
  • Passivos não circulantes: obrigações financeiras que vencem em mais de 12 meses a partir da data do balanço, como compras feitas em prestações acima de 12 meses e pagamento de empréstimos.
  • Passivos operacionais: saídas de dinheiro advindas das operações da empresa, como pagamento de fornecedores e funcionários.

Depois do levantamento de todos os ativos e passivos da empresa, é possível extrair o patrimônio líquido, que se constitui em valores ativos menos os valores passivos. O intuito é que haja um equilíbrio entre as duas contas.

Tipos de balanço patrimonial

O principal tipo de balanço patrimonial é o que aponta os ativos, os passivos e o patrimônio líquido da empresa em um determinado período.

Contudo, há uma segunda categoria de balanço, o projetado. No balanço patrimonial projetado, é realizada uma projeção de valores em um período futuro. Esse processo desenha uma situação econômica futura. Geralmente, a ferramenta é necessária para captura de investimentos e estudos de negócios para a tomada de estratégias empresariais.

Qual empresa deve fazer o balanço?

A obrigatoriedade do balanço patrimonial varia conforme o tipo de tributação ao qual a empresa está determinada. 

Organizações que se enquadram no sistema de tributação simplificada Simples Nacional não são obrigadas a fazer o balanço, dentre elas, MEI (Microempreendedor Individual), ME (Microempresa) e EPP (Empresa de Pequeno Porte).

No entanto, há um cenário em que essas empresas devem, sim, gerar o balanço. Trata-se do caso em que a empresa participa de licitações públicas. Quando MEI, ME e EPP buscam participar deste procedimento administrativo, ela deve apresentar o balanço patrimonial. 

Portanto, no caso dos microempreendedores individuais que participam de licitações, é preciso cumprir com as obrigações legais, como pagar regularmente o DAS MEI e fazer o relatório patrimonial.

Já para empresas que se enquadram nos sistemas de Lucro Real e Lucro Presumido, é obrigatório entregar o Balanço Patrimonial pelo Sistema Público de Escrituração Digital (SPED).

Contudo, independentemente da obrigatoriedade legislativa da apresentação desse relatório, trata-se de um documento importante para a saúde financeira do negócio e para análises econômicas, que cabem a empresas de qualquer porte. Confira, a seguir, quais as vantagens em criar o demonstrativo.

Vantagens do balanço patrimonial

Ter em mãos, de forma visível e clara, o cenário econômico da empresa, beneficia a organização como um todo. Veja algumas das vantagens do balanço patrimonial.

Visibilidade das contas da empresa

Muitas vezes, os gastos que uma organização tem são diluídos em diferentes setores. Com isso, não há unificação financeira, e os gestores não conseguem ter uma visão ampla das contas.

O balanço serve, justamente, para que seja possível ter uma visão ampla e globalizante de tudo o que é relacionado ao negócio.

Controle das finanças

Quem sabe o que gasta e onde se gasta consegue controlar melhor os ativos. Assim, com o relatório, é possível ter mais controle sobre as finanças. Muitas vezes, para tomar certas decisões, é preciso se basear no cenário real, que só será possível com o levantamento da empresa. 

Plano de ação

Planos estratégicos para direcionar as empresas até seus objetivos precisam partir do que é realidade na empresa. Por exemplo, caso uma empresa tenha a pretensão de melhorar o nível de sua produção, ela precisa saber muito bem sobre os valores gastos e incutidos em equipamentos, pessoal, imóveis e outros itens. Só assim é possível traçar um plano de ação realista e baseado em dados. 

Como fazer o relatório patrimonial?

Fazer um relatório patrimonial exige conhecimentos financeiros e contábeis, portanto, o ideal é que ele seja realizado por um profissional qualificado na área de finanças e contabilidade. Porém, algumas diretrizes simples podem ser seguidas para realizar o relatório. 

Primeiro, estipule o período a ser analisado. Depois, em uma tabela ou outra ferramenta de cálculo, crie uma coluna e insira em linhas todos os ativos de sua empresa, categorize-os e determine seus valores. Em seguida, em uma segunda coluna, insira todos os passivos do negócio, também os categorizando e colocando seus valores. 

Para que nada fique de fora, veja extratos bancários, livros diários, registros de negociações e pagamentos para que todos os itens pagos e recebidos pela empresa entrem no balanço.

Por fim, calcule o valor final de ativos e o de passivos; subtraia o valor dos passivos do resultado dos ativos. Então, é possível apontar se a empresa esteve com suas contas em equilíbrio, em saldo positivo, ou no prejuízo, com saldo negativo.

Por: Conversion

Categorias

Artigo popular

  • All Post
  • 10 MELHORES ARTIGOS
  • Economia
  • Franquias
  • Gestão
  • Marketing
  • Negócios
  • Notícias
  • Others
  • Seguros
  • Startups
  • Tecnologia
  • Turismo
    •   Back
    • Empreendedorismo
    • Abrir uma empresa
    • Plano de negócios
    • Contabilidade/Finanças
    •   Back
    • Alguns releases que receber
    • notícias empresariais
    •   Back
    • Financiamentos
    • Empréstimos
    • Cripto
    •   Back
    • Ideias de Negócios
    • Negócios online/Ganhar dinheiro na internet
    • Franquias
    • MEI
    • Pequenas Empresas
    • Dicas